Perkons S.A | Mobilidade e Segurança no Trânsito

Pedestre Comportamento seguro para o pedestre

Não importa se você tem carro ou não: na essência você é pedestre, seja quando opta por um trajeto completo ou parcial. Dados de uma pesquisa realizada pelo Metrô de São Paulo mostram que, ainda em 1997, mais de 2 milhões de pessoas circulavam diariamente pela parte central da capital paulistana e que andar a pé já tinha o mesmo peso do transporte coletivo.

De lá para cá, a ideia de caminhar ganhou força no Brasil, especialmente na capital paulista. Em 2012, foi lançado o livro “Como viver em São Paulo sem carro”, idealizado pelo empresário Alexandre Lafer Frankel e escrito pelo jornalista Leão Serva. Ele apresenta relatos de diversos ícones da cena paulistana que deixaram o automóvel de lado e preferiram caminhar e pedalar. Os personagens dão dicas de melhores trajetos a pé ou de bicicleta para aproveitar as opções de lazer e cultura na metrópole.

Crédito: Divulgação
Andar a pé é assunto de livro em São Paulo, onde se busca alternativas aos carros.

Caminhar não é apenas para chegar a algum lugar. Ela torna o pedestre fisicamente ativo, gerando benefícios na qualidade de vida, e colabora na redução de gastos em transportes. Porém, é preciso considerar alguns cuidados na hora de adotar os pés como meio de transporte. Um exemplo é o calçado: não é uma boa ideia andar muito de salto, se você for mulher. Se puder, ande com um tênis que lhe ofereça um amortecimento adequado. No caso dos homens, o famigerado costume de dar passadas largas também não é indicado: expõe a riscos de tropeços e torções. Na medida do possível, use uma roupa leve e, se der, carregue água com você.

Todos sabem que caminhar melhora a qualidade de vida, mas você sabe quais benefícios esta atividade traz à sua saúde? Você sabia, por exemplo, que faz bem não só ao corpo, mas também à mente? A melhora da circulação e da eficácia dos pulmões, bem como a sensação de bem-estar e o combate à osteoporose já são bem conhecidos. Isso sem contar o controle do peso e a proteção contra AVCs e infartos. Mas o que nem todos sabem é que caminhar diminui a sonolência, combate a depressão e torna o cérebro mais eficiente, melhorando a memória e a capacidade de atenção.

Crédito: Agência Brasil

Mesmo quando estiver como pedestre, fique atento à sinalização; ela não é voltada apenas aos motoristas.

Outro cuidado importante é atenção à sinalização. Fique bem atento em relação aos carros: de onde vêm, para qual sentido se dirigem, se eles podem ou não virar na rua à qual você está atravessando, isso sem contar atenção aos sinaleiros, agentes de trânsito e placas. Para que sua atenção não falhe, ouvir o que se passa à sua volta é fundamental. Não basta contar somente com a visão. Assim, evite também andar com fones de ouvidos ou falando ao celular. A falta de atenção pode fazer você trombar com alguém ou até mesmo se machucar em um mobiliário urbano, ou tropeçar em uma calçada não muito conservada, sem contar que você pode estar assumindo riscos até mais graves, como o de ser atropelado.

Crédito: Agência Brasil

Na hora de cruzar uma via, priorize faixas de pedestres e passarelas, e tome medidas cautelares de segurança, como se certificar de que os veículos estão parados ou quase parando.



Infrações previstas aos pedestres

Você sabia que há infrações de trânsito que o pedestre pode cometer? O artigo 254 do Código de Trânsito Brasileiro determina algumas proibições:

É proibido ao pedestre:
I - permanecer ou andar nas pistas de rolamento, exceto para cruzá-las onde for permitido;
II - cruzar pistas de rolamento nos viadutos, pontes, ou túneis, salvo onde exista permissão;
III - atravessar a via dentro das áreas de cruzamento, salvo quando houver sinalização para esse fim;
IV - utilizar-se da via em agrupamentos capazes de perturbar o trânsito, ou para a prática de qualquer folguedo, esporte, desfiles e similares, salvo em casos especiais e com a devida licença da autoridade competente;
V - andar fora da faixa própria, passarela, passagem aérea ou subterrânea;
VI - desobedecer à sinalização de trânsito específica.



Fontes:
Planeta sustentável; AbraspeÚltimo segundoLei nº 9503/97

Compartilhe:
« Voltar